automatización de procesos Tempo de leitura: 3 minutos

Qualquer processo de automatização refere-se a um processo que se desenvolve por si mesmo, sem necessidade de supervisão de forma continua por um ser humano. Isto permite grandes vantagens no desenvolvimento do mesmo, já que pode ser realizado de forma continua a todas as horas e todos os dias do ano sem interrupção.

Desta forma, quando falamos de automatização de processos industriais, referimo-nos à automatização dos processos que têm lugar no setor industrial, seja mediante sistemas computorizados como eletromecânicos destinados ao controlo de maquinaria ou do próprio processo industrial.

Trata-se de uma disciplina da engenharia bastante ampla que inclui a instrumentação industrial e ao mesmo tempo faz referência aos sensores, aos transmissores de campo, sistemas de controlo e supervisão, assim como os sistemas de transmissão e recolha de dados que serão aplicados em tempo real durante a supervisão e controlo das operações na fabrica.

De forma geral, as etapas da automatização de processos podem ser divididas em 3 fases principais:

. Captação de informação:

Esta primeira fase ocupa-se da recolha de dados iniciais sobre os quais vai trabalhar posteriormente o computador que se encarrega da automatização do processo. Para isso, são utilizados sensores de peso, de pressão, velocidade e posição, além dos sistemas de visão artificial que constituem um elemento fundamental na obtenção deste tipo de dados, já que as câmaras industriais obtêm as imagens do objeto que será inspecionado posteriormente.

. Processamento:

Nesta fase, os dados compilados passaram ao computador para analisar e interpretar os mesmos. Esta fase  é menos visível por ser realizada através de processamento de software. Mas é de vital importância, dado que é onde se determina que ação realizar em cada caso.

. Decisão:

Uma vez que a informação seja obtida e processada, o computador toma uma decisão e elabora a resposta que os sistemas automatizados devem tomar para responder com uma solução adequada às necessidades de cada caso e em cada momento.

O processo de automatização requer que as inspeções sejam realizadas da forma mais precisa possível. Para isso, o processo deve apoiar-se na visão artificial como fonte principal de informação sobre a produção. Devemos ter em conta que os sistemas de visão artificial, apesar de poder funcionar de maneira ininterrupta e manter sempre a mesma margem de erro (mínima em comparação com a inspeção manual), também oferecem uma ampla seleção de aplicações de âmbito industrial que potenciam as capacidades da visão artificial na obtenção de informação, que garante melhores resultados. Neste sentido, a capacidade da vision artificial em identificar correspondências de padrões e cores, a capacidade de leitura de códigos e caracteres em diferentes linguagens, verificação de embalagens e correta modelagem de peças, verificação de cablagem, rastreabilidade e etc, constituem aplicações de vital importância que garantem a máxima eficiência durante toda a automatização de processos.

Tudo isso foi possível graças à rápida evolução que sofreram os sistemas de visão artificial e outros tipos de hardware implicados nas últimas três décadas. Um dos problemas mais importantes  que se enfrentou não foi tanto a capacidade de obter dados, mas sim como interpretá-los posteriormente. É importante ter em conta que na maioria dos processos industriais, a resposta tem que ser dada de forma imediata à obtenção da informação. Por isso foi necessário contar com uma largura de banda e processadores suficientemente potentes para que os dados obtidos sejam aplicáveis aos processos.

Hoje em dia, temos as condições tecnológicas que possibilitam visualizar as imagens em tempo real e realizar a maioria da automatização do processo em tempos suficientemente curtos para obter resultados eficientes e mais que satisfatórios. Esta evolução do hardware permitiu o desenvolvimento de livrarias de visão que podem funcionar em ambientes standard, tanto para sistemas operativos como de processadores. Deste modo, atualmente já se encontram disponíveis numerosos ambientes de programação escaláveis e fáceis de usar, que combinados aos novos processadores, tornam muito fácil a implementação de um sistema de visão.