lector de matriculas Tempo de leitura: 4 minutos

O leitor de matrículas (placas ou chapas) é cada vez mais utilizado pelas empresas devido às suas múltiplas aplicações. A sua fácil instalação e a fiabilidade de leitura proporcionam ao profissional da segurança uma ferramenta muito útil e segura. Quer saber mais?

Como funciona a leitura de placas e onde pode ser utilizada?

  • Em primeiro lugar, uma câmara capta a imagem da placa a ser lida. Sendo a imagem capturada enviada para um computador. Este, mediante o algoritmo de um software, lê e processa a imagem. Na continuação, obtemos o resultado.
  • O funcionamento do leitor é relativamente simples. A sua instalação é fácil e acessível, tanto para empresas pequenas como para grandes centros logísticos ou administração pública.
  • Os resultados obtidos caracterizam-se pela sua alta fiabilidade e pela sua utilidade prática. Este é caso daqueles leitores que analisam a segurança nas vias publicas.
  • Estes leitores identificam os veículos que supõe risco para as vias de circulação. Esta informação pode evitar acidentes ou outras práticas proibidas ou de risco como:
  • Manobra indevida: Permite detetar os veículos que efetuam mudanças proibidas de faixa ou que invadem faixas exclusivas para taxis ou autocarros (ônibus).
  • Deteção do sentido de circulação: Deteta veículo que circulem em sentido contrário.
  • Classificação de veículos: Deteta o tipo de veículo segundo sejam CARROS, MOTOCICLOS (MOTOCICLETAS), CARRINHAS DE TRANSPORTE (VANS) ou CAMIÕES. Isto facilita a busca de veículos concretos. Um bom exemplo é a identificação de automóveis roubados ou em deteção e apreensão.
  • Cálculo da velocidade instantânea: Esta característica é agora muito mais precisa. Deteta aqueles veículos que ultrapassam a velocidade e reforça a segurança em áreas sensíveis como escolas, zonas residenciais ou zonas com presença de serviços públicos.

Os usos do leitor de placas (matrículas) são muito amplos:

  • Leitura de placas na inspeção obrigatório de veículos
  • Controlo de portagens (pedágio)
  • Sistemas para semáforo vermelho
  • Estradas – cálculo de velocidade por trajeto
  • Controlo de fronteiras
  • Trabalhos de segurança em estacionamentos
  • Controlo de clientes em postos de gasolina
  • Ferramenta de leitura de placas para veículos policiais
  • Zonas de pesagem de camiões
  • Leitura automática de placas para radares
  • Controlo de acesso para zonas residenciais
  • Controlo de acesso para comunidades de vizinhos
  • Estacionamento de camiões
  • Controlo de acessos em centros logísticos

Processamento e leitura OCR:

A leitura OCR (Optical Character Recognition) é um processo que têm como objetivo a digitalização de textos. Estes textos são identificados de forma automática a partir de símbolos ou caracteres de um alfabeto determinado para mais tarde serem armazenados em forma de dados.

As imagens obtidas pelas câmaras são processadas através do algoritmo mediante técnica OCR.  Assim é como funciona o leitor de placas sendo o resultado obtido confiável e seguro.

Este software permite a leitura de matrículas e a identificação de veículos. Isto pode facilitar a procura de veículos roubados ou usados para fins ilicitos.

Mediante a técnica OCR as imagens podem ser interpretadas e convertidas em dados úteis para a análise estatística de fluxo, controlo de acessos e dados de segurança rodoviária e até mesmo para planificar a ampliação de infraestrutura.

Leitura de placas baseada em tecnologia neural:

  • A tecnologia de redes neurais consiste em imitar o funcionamento do cérebro humano num computador. As redes neurais dos organismos vivos são um conjunto de neurônios conectados entre si.
  • Estes neurônios trabalham juntos sem que nenhum deles tenha funções concretas. A experiência cria e reforça as conexões para “aprender” algo que se fixa no tecido. Assim é como funciona o cérebro humano.
  • A tecnologia neural funciona mediante parâmetros que combinados de forma concreta prediz um resultado. Assim é como se planifica o software para obter comportamentos desejados.
  • As redes neurais têm grande importância dentro do campo da inteligência artificial. Os modelos artificiais criados tratam de solucionar problemas difíceis, mediante técnicas algorítmicas convencionais.
  • As redes neurais facilitaram o trabalho de reconhecimento e identificação de veículos, comboios (trens) ou mercadorias perigosas.
  • Os algoritmos e os processos de aprendizagem costumam ser lentos e complexos. A vantagem consiste em que uma vez o conhecimento aprendido a rede pode funcionar em modo execução.

Variações de tipos de leitura: Códigos de contentores (containers), códigos de trens (Comboios), Códigos IMO, Mercadorias perigosas. 

É necessária a utilização de softwares específicos para processar códigos concretos.

– Códigos de contentores: Existe uma biblioteca de reconhecimento de identificadores de contentores. Esta biblioteca é independente do hardware e a sua tecnologia neural evolui de forma constante. Reconhece códigos verticais e de duas linhas. A sua fiabilidade é muito alta.

Códigos de trens:  Existem bibliotecas de reconhecimento de ID de vagões de trens (comboios) do Brasil. Inclui tecnologia neural própria e em constante desenvolvimento. É muito fiável e integra-se imediatamente com as câmaras.

Códigos IMO: Leitor de códigos IMO DIAMOND. Esta biblioteca de software é facilmente integrada em qualquer aplicação que requeira o reconhecimento automático de códigos IMO. Controlo de acessos, leitor de matriculas ou gestão de frotas.

Mercadorias perigosas: Existe uma biblioteca de software que utiliza redes neurais artificiais para o reconhecimento automático de placas de mercadorias perigosas. Controlo e registro de acessos de túneis, cidades, aeroportos, portos e zonas sensíveis.

O leitor de placas tem múltiplas aplicações para a indústria. A sua fiabilidade de leitura e facilidade de instalação convertem-no em uma ferramenta útil e necessária. O uso da inteligência artificial mediante tecnologia de redes neurais alcançou grandes conquistas. O leitor de matrículas permite controlos de acessos a cidades, aeroportos, portos ou zonas de alta sensibilidade, melhorando assim a segurança nestes ambientes.