sensor laser Tempo de leitura: 3 minutos

A maioria dos díodos que formam parte do nosso dia-a-dia encontram-se nas lâmpadas LED, que usam esta tecnologia para funcionar de forma normal. Entretanto, o díodo laser é um sistema que parte da tecnologia de um díodo (um componente que permite a passagem da eletricidade numa direção, mas não na outra), porém que emite uma luz laser ao invés da luz visível, por isso as suas aplicações são diferentes e mais variadas.

O uso de estes equipamentos permite realizar a triangulação laser, que tem uma quantidade de aplicações quase inumeráveis no campo da visão artificial 3D. A triangulação laser é realizada mediante a emissão de diversos raios laser que reconhecem a superfície do objeto à sua frente. Estes raios chegam à superfície do objeto que à sua frente e ricocheteiam, o que permite que o equipamento calcule a distância que existe entre o sensor laser e a superfície do objeto em questão e também determinar o formato exato do seu perfil.

 

Graças à combinação dos sistemas de câmara e um laser industrial, obtemos imagens com maior resolução e com melhor definição que com o uso de sistemas integrados, que oferecem bons resultados, porém com menor resolução do que quando usamos câmaras e lasers combinados. Estes sistemas de câmara e laser permitem obter um maior controlo sobre a aplicação em todos os sentidos. Contam com a possibilidade de um ângulo variável entre o laser e a câmara, o que traduz em uma maior flexibilidade na hora de obter imagens de qualidade, com maior resolução e um melhor posicionamento 3D. Além disso, contam também com a possibilidade de combinar vários lasers e câmaras ao mesmo tempo, tanto ao que se refere ao número de unidades como aos tipos das mesmas, o que aumenta consideravelmente a velocidade de scanner. Os sistemas integrados também têm as suas vantagens, já que vêm de fábrica pré-calibrados, com o software de processamento integrado, o que permite a sua instalação em questão de minutos. Outra vantagem dos sistemas integrados é a interface de utilizador do software que normalmente é uma interface gráfica muito fácil de configurar. Um bom exemplo dos sistemas 3D integrados é a Smartcam 3D Gocator.

A visão 3D representa um passo em frente no reconhecimento de objetos comparado à visão 2D mais tradicional. Graças ao uso da visão 3D mediante a tecnologia do sensor laser, a separação ou segmentação dos objetos no espaço torna-se mais fácil.

Isto significa que é possível ter um maior e melhor controlo sobre cada uma das partes do mesmo, já que o reconhecimento da imagem não se limita a uma única unidade uniforme, mas que distingue com precisão micrométrica cada uma das partes do objeto inspecionado e o estado das mesmas em cada momento.

Este fato permite melhorar o controlo sobre cada uma das partes, podendo saber de forma rápida e precisa, se uma peça está mal posicionada ou se uma solda está mal feita ou necessita de ser revisada. O uso da visão 3D permite também uma medição de volume muito mais precisa e uma determinação da posição exata do objeto, pelo que superam algumas das limitações que podem existir no uso de sistemas 2D.

 

Deste modo, encontramo-nos diante uma tecnologia que apresenta diversas aplicações na indústria. Por um lado, permite a identificação de defeitos superficiais de maneira rápida e concisa. Proporciona uma ferramenta única na hora de realizar a medição da espessura, a altura e o volume dos objetos. Garante o controlo exato sobre a localização de cada uma das peças necessárias tanto na recolha como na montagem. Permite um melhor controlo da qualidade do produto e além do mais, constitui uma ferramenta incomparável na hora de facilitar o trabalho dos robôs guias ao longo de todo o processo industrial.