Tempo de leitura: 2 minutos

Na Copa do Mundo no Brasil não deveriam existir mais resultados controversos. Pela primeira vez na historia dos mundiais foi instalado um sistema de visão artificial que pode determinar se a bola ultrapassou a linha de gol ou não, o chamado GoalControl-4D.

O sistema desenvolvido pela empresa alemã GoalControl GmbH, diferencia-se dos outros por não necessitar da implantação de sensores nem na bola nem nas balizas, já que o sistema se baseia no processamento de imagens. Desde a tribuna e da cobertura do estádio foram posicionadas sete câmaras de alta velocidade (até 500 imagens por segundo) em cada baliza, focadas em diferentes ângulos e filmando constantemente o que acontece nessa zona. As imagens são enviadas para um computador central onde são armazenadas e processadas, calculando se a bola se encontra dentro da baliza e em caso de gol, transmite o resultado ao relógio do árbitro em meio segundo.

As câmaras de alto desempenho que compõe o sistema foram fabricadas pela empresa suíça Photonfocus, a partir de especificações requeridas pela GoalControl.

A Photonfocus é uma companhia dedicada ao desenvolvimento e produção de câmaras e sensores CMOS, especializada em aplicações personalizadas, que conta com uma equipa de engenheiros capacitados para desenvolver e cumprir com os requisitos das aplicações mais exigentes, cada vez mais frequente entre os utilizadores de sistemas de visão artificial.

O sistema já foi utilizado no jogo entre as seleções da França e Honduras, em que o segundo gol da seleção francesa se converteu no primeiro gol do mundial a ser concedido com a ajuda tecnológica de um sistema de visão artificial 3D.

No vídeo a seguir, Marcel Krist da Photonfocus explica o funcionamento do sistema em uma televisão Suíça.
YouTube Preview Image