Tempo de leitura: 2 minutos

O conceito Cobot, que significa Robô Colaborativo, surgiu pela primeira vez em 1995, como parte de um projeto de investigação realizado pela Fundação General Motors.

O objetivo deste projeto foi desenvolver robôs tão seguros que pudessem trabalhar com as pessoas lado a lado sem supor nenhum tipo de contratempo à equipe. Agora, mais de duas décadas depois, os Cobots encontraram seu lugar em muitas fábricas e também na consciência do público em geral. Entretanto, ainda são muitos os que não conseguem compreender a diferença entre um robô tradicional e um Cobot.

 

Equipes de Humanos e Máquina

Os robôs da indústria clássica realizavam seu trabalho seguindo um programa fixo, o que incluía não ter em conta sobre as pessoas que trabalhavam ao seu redor. De fato, neste caso, os acidentes se evitam através de espaços de segurança. Por outro lado, os Cobots estão desenhados específicamente para trabalhar com pessoas. Deste modo, em vez de estarem enjaulados, trabalham em um ambiente cooperativo e ajudam com tarefas complexas que não podem ser completamente automatizadas. Desde a entrega de componentes a colegas de trabalho humanos, à executar tarefas de montagem ou controle de qualidade.

 

Mais econômico

Um dos aspectos mais chamativos dos Cobots é seu baixo custo se comparado ao preço com o qual se poderia supor, a princípio, uma unidade destas características. A possibilidade de serem reutilizados en diferentes funções de maneira rápida e fáceis de programar permite que sua instalação seja viável em qualquer tipo de empresas, desde as muito grandes até as menores.

 

Comportamento inteligente e seguro

Assim mesmo, os Cobots estão desenhados para trabalhar sem problemas junto aos seus colegas humanos. Graças à sensores sofisticados, se imobilizam ao mínimo contato, o que permite evitar qualquer perigo para as pessoas próximas. Isso faz com que as áreas fechadas e os espaços de segurança já não sejam necessários.

 

Flexíveis e com capacidade de aprendizagem

Os Cobots são muito fáceis de programar. A diferença dos robôs industriais mais tradicionais, alguns modelos de Cobots aprendem de forma independente, o que agiliza qualquer tarefa de trabalho con eles. Por exemplo, um técnico pode realizar um movimento com o braço do Cobot e este pode reproduzir o mesmo movimento de forma automática, o que reduz consideravelmente qualquer processo de programação. De fato, outros sistemas poden receber instruções de trabalho sem codificação, utilizando uma interface gráfica de usuário. Desta forma, os empregados podem reprogramar os Cobots de maneira flexível e simples, e utilizá-los em uma grande variedade de tarefas.

 

Aplicável em qualquer lugar

Os Cobots não só são fáceis de reprogramar, também são relativamente fáceis de mover e de utilizar em outros pontos da cadeia de montagem em que possam ser necessários. A maioria dos Cobots podem ser montados em qualquer superfície, desde o solo até as paredes e tetos. Por isso, geralmente são leves o suficiente para poderem ser transportados por apenas uma pessoa.