Tempo de leitura: 2 minutos

O submarino não tripulado REMUS 6000, descobriu a localização da aeronave a 3900m de profundidade no Oceano Atlântico e transmitiu imagens feitas com câmaras Pike de Allied Vision Technologies.

Quase dois anos depois da queda dramática do voo Air France 447 entre Rio de Janeiro e Paris, os investigadores franceses de acidentes aéreos finalmente descobriram os restos do Airbus A330-200 a 600 milhas da costa brasileira no fundo do oceano Atlântico, a 3900m abaixo do nível do mar.

Misterioso acidente

O voo 447 caiu dia 1 de junho de 2009, depois de levantar voo no Rio de Janeiro, Brasil, em direção a Paris, França. Todos os 228 passageiros e tripulantes morreram no acidente. A causa real do acidente ainda não foi identificada com certeza. Só algumas peças da aeronave foram encontradas à deriva na superfície enquanto as principais partes da aeronave e a caixa negra afundaram-se no mar e não foram localizadas ainda, apesar das 3 campanhas de busca nos últimos 2 anos.

Submarinos não tripulados exploram o fundo do mar

A quarta campanha começou em Março de 2011, sob a supervisão de Woods Hole Oceanographic Institution (WHOI) em Massachusetts e o Bureau d’Enquête et d’Analyse (BEA) e as autoridades francesas de invesigação de acidentes aéreos.

Três REMUS 6000, veículos submarinos autônomos (AUV) foram utilizados para procurar no fundo do mar os restos. O REMUS 6000 é um avião avançado submarino fabricado por Hydroid Inc. para a exploração em águas profundas, onde a profundidade e a pressão são muito altas para os mergulhadores humanos. O REMUS 6000 AUV foi desenhado sob um programa de cooperação entre o Escritório Naval Oceanográfica intergovernamental (NAVOCEANO), o Escritório de Pesquisa Naval (ONR) e o Instituto Oceanográfico Woods Hole (WHOI) em apoio de operações em águas profundas (19.700 pés) e funcionar de forma autónoma para um máximo de 22 horas. Pode ser utilizado para missões de vigilância ambiental, amostragem científica, operações de mapeamento ou busca e salvamento, como no caso do voo Air France 447.

Os submarinos autónomos procuraram no fundo do mar com sonares os restos e finalmente encontraram, a uma profundidade de quase 4.000m. O uso das câmaras PIKE F-421B de ALLIED VISION TECHNOLOGIES permitiu transferir as primeiras imagens da aeronave aos investigadores. As PIKE F-421 são câmaras FireWire de alta qualidade para ambientes industriais e científicos e estão equipadas com um sensor CCD monocromático ou a cores oferecendo imagens de alta qualidade e baixo ruído para as aplicações mais exigentes.