Tempo de leitura: 2 minutos

O processo de classificação de resíduos consiste em separá-los pelos seus diferentes elementos. A classificação pode ser feita manualmente, classificando os resíduos em casa e depositar em contentores especiais para cada material com sistemas mecânicos de tratamento biológico.

Uma solução na classificação automática baseia-se na espectroscopia infravermelha, utilizando fontes de iluminação halogeneas. Num selecionado intervalo espectral de comprimentos de ondas infravermelhas, os objetos têm diferentes propriedades de reflexo frente à iluminação comum. Isto é uma vantagem, uma vez que permite ao equipamento distinguir entre o plástico recoberto de cartão, cartão comum e os diferentes tipos de plásticos, pelas pequenas variações na “cor” da luz infravermelha refletida. O olho humano, no entanto, somente pode detectar a cor dos objetos visíveis.

O reflexo nos diferentes comprimentos de ondas infravermelhos é registado continuamente enquanto os resíduos passam pela linha de deteção da esteira transportadora transversal. Os dados são enviados a um computador, que analisa as leituras e constrói uma imagem bidimensional dos detritos da esteira transportadora. Baseado nessa análise, o equipamento identifica a localização dos diferentes elementos nos resíduos da esteira e direciona os jatos de ar comprimido para separar o cartão de bebidas, por exemplo, em um contentor. Enquanto que o restante de resíduos permanece na esteira transportadora ate o contentor de resíduos.