Tempo de leitura: 2 minutos

As Câmaras Prosilicas da Allied Vision Technologies são parte de um sistema móvel de captura de imagens geo-etiquetadas de zonas afetadas por desastres naturais.

Medir e avaliar o impacto de desastres naturais em infraestruturas e danos em construções, é uma parte essencial do processo de recuperação depois de um desastre natural para ajudar os afetados a reconstruir as suas vidas. As avaliações costumam demorar meses usando métodos tradicionais.

O Rapid Inventory Collection System (RICS) é um sistema móvel, baseado em visão artificial desenvolvido na Geoscience Autralia, que captura imagens digitais geo-etiquetadas de estruturas e edifícios, para avaliações rápidas nas zonas afetadas por desastres. O sistema existente complementa o trabalho de campo, permitindo uma cobertura completa, medindo os danos através da captura de milhares de imagens num curto período de tempo. Esta tecnologia ajuda os engenheiros e cientistas a estabelecer e priorizar as piores áreas com mais eficiência.

O RICS consiste num sistema de 2 a 4 câmaras Prosilica GC2450, na parte superior de um veículo, um switch de cinco portas Ethernet, um receptor GPS e um computador portátil.

O interface de utilizador do RICS consiste em 3 seções; imagens, dados GPS e bloco de notas. As imagens descarregadas são mostradas na parte superior, enquanto que os dados do GPS na parte central, incluem hora, latitude, longitude, rumo, número de satélites, qualidade e a velocidade.
O bloco de notas na seção inferior permite aos utilizadores escrever notas durante uma seção de campo.

Primeira missão: Os incêndios florestais em Victoria/Austrália – 2009

A primeira aplicação do RICS foi em 2009, para avaliar os danos nas estruturas residenciais e comerciais depois dos incêndios florestais de fevereiro na região de Victoria/Austrália. Os incêndios florestais de fevereiro de 2009, estenderam-se rapidamente através de 78 municípios e devastaram mais de 400.000 hectares de terra, causando mais de 200 vítimas mortais.

A avaliação de danos do impacto do fogo, foi levada a cabo utilizando uma combinação de imagens do Google Street View, imagens aéreas de antes e depois, e as do RICS. O RICS e Google Street View, desempenharam um papel importante delineando as diferenças entre casas e outras construções, e eliminando também da base de dados, as estruturas que estavam em ruínas antes do incêndio. O RICS proporcionou uma cobertura total das estruturas residenciais a 200 metros de estradas e caminhos. Foram utilizadas três câmaras para capturar mais de 500.000 imagens de aproximadamente 8.000 estruturas durante um período de três semanas.

Um grande número de incêndios foi reportado em cinco regiões com aproximadamente 5.400 estruturas residenciais dentro do perímetro. O RICS avaliou o impacto dos incêndios de Victoria, e indicou que mais de 2.100 casas foram destruídas, enquanto que outras 800 tiveram danos menores. O RICS também foi útil para avaliar o estado da vegetação queimada próximo dos centros povoados, ajudando a validar as imagens dos sensores remotos que representam a intensidade do fogo.

Desde então, o RICS foi utilizado nos terremotos Kalgoorlie 2010 e Christchurch 2011, nas inundações de Brisbane, no Ciclone tropical Yasi e recentemente para capturar imagens geo-etiquetadas da Darling River em New South Wales para uma pesquisa ecológica.

Imagens: © Copyright Geoscience Australia