Tempo de leitura: 1 minuto
Na última década, as tecnologias ópticas contribuíram imensamente para melhorar os sistemas de segurança com novos métodos de encriptação da informação e desenhando novas etiquetas de identificação para tarefas de vigilância ou seguimento, entre outros aspectos.
Habitualmente, se combinam sinais ou factores de identificação de diferentes categorias para produzir uma autentificação multi-factorial que somente dá positivo no caso de que todas as sinais sejam identificadas. Isto é especialmente comum nas aplicações de alta segurança, cujos requerimentos de identificação são estrictos.
No Departamento de Óptica e Optometria da Universidade Politécnica de Catalunha foi desenvolvida uma nova técnica para a encriptação-verificação que relaciona pela primeira vez os 4 elementos seguintes: encriptação multifactorial, uma etiqueta de identificação com um sinal identificativo fora do espectro visível, leitura de dados no espectro NIR e processamento óptico. Unindo as vantagens destes 4 elementos foi obtido um sistema de segurança altamente confiável.
Para a análise da etiqueta de identificação no espectro NIR (entre 900 e 1700nm) foi utilizada uma câmara com sensor InGaAs da Xenics, uma XEVA1.7-640, com resolução de 640×512 pixéis. A verificação experimental dos resultados demonstra a viabilidade da proposta e a sua coincidência com os resultados obtidos nas simulações numéricas. O sistema resulta eficiente e imune a efeitos de possíveis defeitos nas etiquetas de identificação.