cuello de botella en la producción Tempo de leitura: 3 minutos

O que é um gargalo de produção? 

Primeiro temos de perguntar o que é exatamente um gargalo de produção. Trata-se de uma situação que pode acontecer nos processos de produção industriais e que se caracteriza por ser uma fase da linha em que a produção é mais lenta que as outras, o que implica uma desaceleração do processo de produção global.

O gargalo de produção pode acontecer de diferentes maneiras, tendo sempre a característica de reduzir a eficácia da produção da cadeia produtiva na indústria. Para ter uma ideia de como funciona, propomos o seguinte exemplo:

Numa linha de produção onde as fases sejam A e B, a fase A pode produzir 100 unidades por hora. Enquanto a fase B que deverá usar as unidades produzidas durante a fase A, só pode processar 50 unidades por hora. Isso leva a um gargalo de produção entre ambas fases já que a produção da fase A é impossível ser assumida pela fase B, o que implica atrasos, excesso de stock, ineficiência e custos económicos no conjunto da produção.

 

O que causa um gargalo de produção?

As causas podem ser múltiplas e podem acontecer várias entre elas ao mesmo tempo. Entretanto, todas elas podem ser agrupadas numa das seguintes categorias:

Falta de armazenamento variável:

Os gargalos de produção podem ocorrer por falta dos materiais necessários para desenvolver uma fase concreta da produção. A maneira mais fácil de solucionar, ou a mais comum, é utilizar um armazém intermediário localizado antes da fase que requer os materiais.

Falta de operários:

Isto provoca gargalo de produção quando não existem os operários necessários para reparar as máquinas com problemas. Geralmente, a solução passa por contratar mais pessoas e por uma formação mais adequada aos possíveis imprevistos que possam acontecer.

Tempo morto:

Ocorrem quando uma parte da máquina tem que ser substituída. A melhor forma de evitar é reduzir ao mínimo o tempo em que a máquina permanece desligada.  É também recomendado ter sempre algumas peças de substituição em stock de forma diminuir os tempos de intervenção nas máquinas.

Velocidade de máquina incorreta:

Trata-se de um dos motivos mais comuns na geração de gargalos de produção e que mais dano pode causar à produção. Ocorre devido a uma má gestão dos dados por parte dos sistemas que controlam o processo. Uma das formas de controlar esta fase do processo de produção é mediante a implantação de sistemas eficientes de controlo de qualidade através do uso da visão artificial de maneira que melhorem a obtenção e processamento da informação. Usando sistemas mais eficientes se consegue aumentar a produção graças a uma velocidade mais rápida de inspeção que garante a produtividade da linha de produção.

 

Os 3 pontos-chaves da deteção prematura de gargalos de produção no Supply chain

A melhor maneira de evitar os gargalos de produção consiste em prevê-los antes que possam chegar a afetar de forma decisiva a produção. Existem três pontos-chave que devem ser tidos em conta por parte dos responsáveis do supply chain:

A visão necessária:

É necessário ter uma visão completa de todo o processo de produção, de extremo a extremo. Desta forma evitaremos pontos mortos sem controlo que possam ser foco de gargalos de produção.

Dados precisos e com a qualidade suficiente:

É fundamental contar com dados que sejam precisos, mas também que tenham a qualidade suficiente na hora de aportar informação adicional. É fundamental contar com a tecnologia de visão artificial adequada e mais eficiente em cada caso. Ao contrário, será complicado que os responsáveis possam cumprir com sucesso a função de prevenir os gargalos de produção devido à lentidão das inspeções na linha de produção.

Troca de informações em tempo real:

É fundamental que toda a informação esteja atualizada e seja processada em tempo real. De outro modo os gargalos vão acabar por aparecer antes ou depois.

 

Como combater o gargalo de produção?

Uma vez que o foco onde existe um gargalo seja localizado, dispomos de duas alternativas para solucioná-lo:

Adaptar toda a linha à falha:

O que implica baixar o nível da produção e com isso os benefícios finais.

Atuar na falha até resolvê-la:

É a opção que requer mais trabalho mas que a médio e longo prazo tem mais resultados, tanto em eficiência como em benefícios.