Tempo de leitura: 3 minutos

Com o contínuo crescimento da indústria automóvel, há cada vez mais empresas a procurar uma maior eficiência e soluções inovadoras de forma a melhorar os processos de produção, logística e de distribuição. Hoje vamos falar de como otimizar os processos associados à produção de anéis de pistão.

Os anéis de pistão, vitais para um bom desempenho do motor

Os segmentos ou anéis de pistão são usados ​​principalmente para manter a pressão e a combustão do cilindro. Estas pequenas peças são essenciais, entre outras coisas, por serem capazes de controlar a pressão e a temperatura que sofre o pistão. Uma das suas funções é selar a câmara de combustão para que, durante a compressão, a mistura ar-combustível não passe para o interior do cárter. Graças a eles, os motores têm estanquidade suficiente nas câmaras de combustão para aproveitar as explosões produzidas e assim gerar movimento.

Na produção de anéis de pistão, é imprescindível que cada lote cumpra com o número exato de segmentos especificado para a instalação de cada veículo. A inspeção manual, tradicionalmente tem sido utilizada para classificar, contar e embalar cada lote de anéis antes de enviá-los para o cliente final, consumindo muito tempo e significam uma elevada carga de trabalho.

Conforme os anéis saem da linha de produção, são contados e embalados de acordo com as especificações antes de serem enviados. Este processo de contagem é crítico para evitar confusões durante a montagem do conjunto do pistão. Se no final da montagem faltar ou sobrar anéis, é necessário recontar manualmente os mesmos para garantir que o número de anéis por lote seja o correto. Sem dúvida, existe a necessidade de otimizar estes processos, reduzindo o tempo de ciclo e reduzindo os custos de produção.

A solução Sherlock

Software de visão artificial Sherlock

Sherlock é um software comercializado pela INFAIMON para a execução de aplicações de visão artificial orientadas para ambientes industriais oferecendo uma gama abrangente de ferramentas de inspeção e controle.

Graças ao sistema de programação por menu, o Sherlock não requer nenhum tipo de experiência em programação. As funções são configuradas a partir das ferramentas que aparecem no menu do programa e uma vez selecionadas, aparecem no ecrã para serem colocadas no objeto a ser analisado. Este tipo de programação esta orientado para o rápido desenvolvimento de aplicações.

As ferramentas de visão do Sherlock são capazes de garantir um alto grau de precisão, detetando pequenas variações com os anéis que podem alterar o processo final de contagem. Especificamente, a ferramenta Edge Count Tool do Sherlock é capaz de reconhecer pequenas discrepâncias, como espaços entre os anéis ou substâncias que alterem a sua aparência. No caso de detetar a falta de um anel, o Sherlock gera um alerta para que o operador possa verificar a recontagem e ajustar o lote para solucionar o problema.

O software de visão de Sherlock “conta” os anéis detetando as arestas e gerar um alerta se houver um problema

O Sherlock é facilmente integrado num PC industrial para partilhar imagens e fornecer dados estatísticos. Neste exemplo, os operadores podem escolher o número predefinido de anéis por lote para inspeção. As imagens são carregadas e processadas no Sherlock, onde os resultados são exibidos como “pass” ou “fail”. O lote “aprovado” segue para embalamento e envio ao cliente final. O armazenamento de imagens baseado em nuvem fornece aos operadores a capacidade de monitorizar os resultados da inspeção e o desempenho geral para ajustar os parâmetros de inspeção conforme necessário.

Procura uma solução definitiva para uma aplicação de inspeção visual? Entre em contato com os nossos especialistas e aconselhamo-lo sem nenhum compromisso.