Tempo de leitura: 3 minutos

Visão artificial

A inspeção de cores na impressão representa uma das aplicações de visão artificial mais exigentes, desde packaging a documentos, passando por etiquetagem ou notas de dinheiro. No nosso dia-a-dia existem inúmeras ocasiões nas que é necessário verificar a cor da impressão, seja nos diferentes tipos de indústria como a farmacêutica, alimentar, bebidas, publicidade ou marketing e finanças.

Em setores muito regulamentados, como é o caso da indústria farmacêutica, é crucial a inspeção de cores para garantir que o paciente receba a medicação correta e que o texto seja legível para evitar confusões. Igualmente, em setores como a cosmética ou na publicidade, a escolha do tom a ser utilizado pode ser determinante para que uma campanha passe a ser um sucesso a converter-se em um fracasso absoluto.

A maioria de fabricantes acabaram optando pela inspeção de cores de impressão para garantir que a qualidade de seus produtos cumpra sempre os mais altos standards.

Teledyne DALSA desenvolveu 3 series de câmaras “line scan” para este tipo de inspeção de cores na impressão. A Piranha4 Color liderou o setor de inspeção da impressão de cores há alguns anos. Recentemente foi apresentada a família Linea Color que oferece excelente rendimento em sistemas de visão linear a cores com interfaces CameraLink e GigE Vision.

Por último, a Piranha XL, a primeira câmara TDI que permite o uso da alta velocidade em condições escassas de luz. As câmaras e frame grabbers da Teledyne DALSA podem acelerar os processos e reduzir custos.

lineaA câmara Piranha4 Multiespectral permite também a inspeção próximo do infravermelho (NIR) o que permite que somente um dispositivo crie uma solução RGB+NIR. Esta câmara conta com uma aplicação direta à inspeção de impressão, por exemplo na inspeção de dinheiro e outros produtos que utilizem tinta de segurança. O sensor NIR é capaz de detetar textos e imagens imperceptíveis ao olho humano, o que converte esta câmara em um produto estrela na hora de detetar falsificações. Anteriormente, para obter o mesmo resultado final, era necessária duas câmaras distintas; uma para a inspeção a cores e a segunda para verificar a tinta de segurança. Combinando as duas em um único dispositivo os custos reduzem significantemente.

Porém a câmara não é o único elemento importante na inspeção da cor. A escolha da lente ou da luz é de grande transcendência para garantir que as condições para fazer inspeções sejam as corretas.

A escolha da lente dependerá das necessidades que requeiram a aplicação. Por exemplo, na hora de analisar as notas, as lentes devem ser capazes de trabalhar tanto no espectro visível como no infravermelho NIR. Com respeito a iluminação, a mudança para LEDs brancos ajudou a melhorar a qualidade da imagem para a inspeção a cores. Em aplicações onde se utilizem o espectro NIR é necessário LEDs NIR para executar a inspeção. Finalmente, a tecnologia TurboDrive melhora a limitação da largura de banda da interface GigE sem necessidade de modificar hardware.

billete_ir