línea de producción Tempo de leitura: 3 minutos

As linhas de produção evoluíram para otimizar os processos. Isso permitiu a diminuição de erros e melhorar a qualidade final do produto. Reduzir custos e aumentar a eficiência são outras vantagens dessa revolução. Quer saber mais?

Evolução do processo de produção:

  • Processo agrícola e manual: O artesão era o encarregado de produzir o produto do começo ao final. Não havia divisão de trabalho. O artesão decidia a sua própria jornada de trabalho. Seu oficio e sua técnica tinham um carácter sigiloso. Os mestres ensinavam os aprendizes.
  • Revolução Industrial: Com a extensão e profissionalização da produção de bens de consumo a economia baseada no trabalho manual foi substituída pela indústria e a manufatura.
  • Taylorismo e Fordismo: Converteu a divisão do trabalho em uma ciência. Cada trabalhador tinha a sua tarefa e o tempo preciso para realizar-la. Ford criou a produção em massa usando a cadeia de montagem criada por Taylor.
  • Administração da produção e de operações: A produção se ajusta à necessidade de consumo. As operações minimizam-se para economizar em esforços e em gastos.
  • Toyotismo ou Metodologia Lean: Busca-se racionalizar a produção adaptando à necessidade de consumo. Também se pretende reduzir ao máximo os custos de produção. Eliminam-se estoque desnecessário durante a produção.

 

Automatização industrial:

Os níveis de qualidade excelentes e redução de custos são as principais vantagens da automatização industrial.

  • Automatização industrial (60’s): AMK apresentou o primeiro motor de indução (gaiola de esquilo) de três fases de produção massiva.
  • Engenharia de controlo (90`s): Centra-se no controlo dos sistemas dinâmicos para que respondam a um comportamento pré-definido.
  • Aparição da visão artificial (90`s): Maximiza e otimiza os processos automatizados de controlo de qualidade. Preserva a integridade os operários.
  • Robótica: Os robôs realizam as tarefas mais repetitivas e pesadas. São classificados segundo a sua cronologia e a sua estrutura.
  • Robótica colaborativa: O robô ao serviço do homem. O operário encarrega-se da parte intelectual enquanto que o robô realiza as tarefas mais perigosas, repetitivas e pesadas.
  • Otimiza os processos aumentando a qualidade final do produto.

 

Indústria 4.0 e IIOT

As ondas de avanços tecnológicos abriram espaço para a quarta revolução industrial. A indústria 4.0 cria fábricas inteligentes. Busca informatizar todos os processos de fabricação. As máquinas estariam conectadas entre si mediante internet chamado de internet das coisas (IOT – Internet of Things).

Esta informação, devidamente analisada, é de grande valor industrial. Graças a estas informações podemos melhorar a linha de produção, otimizando a qualidade final do produto.

Devidamente coletada, esta informação é conhecida como a Internet industrial das coisas ou IIOT (industrial Internet of things).

A IIOT aumenta a flexibilidade e individualização dos processos de fabricação. O desafio da indústria 4.0 é a dificuldade para a análise e gestão de uma grande quantidade de dados.

 

Eficiência e produtividade:

Quando associamos um processo de produção eficiente à automatização e controlo exaustivo da qualidade mediante visão artificial obtemos as seguintes vantagens:

  • Processos eficientes
  • Redução de tempos de produção
  • Redução de custos
  • Diminuição de perdas e desperdícios
  • Aumento da qualidade final do produto
  • Flexibilidade na produção
  • Eficiência energética
  • Aumento da segurança do pessoal

 

A linha de produção evoluiu desde o processo manual até a atual Industria 4.0. Mediante o uso de sistemas automatizados, visão artificial ou a robótica colaborativa a indústria aumenta a sua competitividade com a automatização industrial.

Aumentar a competitividade aumenta os benefícios. As linhas de produção estão em constante avanço e desenvolvimento, tratando de alcançar a otimização dos processos.

Devemos aproveitar os recursos que estejam a nossas mãos para beneficiar-se do crescimento industrial.