línea de montaje Tempo de leitura: 3 minutos

O que é a linha de montagem? 

Denomina-se linha de montagem ou cadeia de produção o processo que divide a fabricação de um produto em trabalhos especializados dentro do próprio processo produtivo. Estes trabalhos de produção são levados a cabo em fases ou etapas seguindo escrupulosamente uma sequência pré-definida.

As linhas de montagem são o método mais comum usado na produção em massa de produtos já que permite obter produtos de melhor qualidade a um custo mais reduzido e espaço de tempo menor.

 

Evolução do processo de produção

A evolução do processo de produção pode ser divido historicamente em etapas concretas e bem definidas:

Processo agrícola e manual:

Neste caso, fazemos referência à produção artesanal de produtos, o que implica que uma única pessoa realize o trabalho de produção. Este sistema é muito lento e em consequência, caro se comparado com os sistemas de produção posteriores.

Revolução industrial:

Caracteriza-se por uma mudança nos modelos de produção ao introduzir o uso de máquinas nos processos de fabricação. Supõe um avanço importante no número de bens de consumo que podem ser fabricados no mesmo período de tempo se compararmos com a fase anterior.

Taylorismo e Fordismo:

Frederic W. Taylor foi um engenheiro e economista norte americano que, depois de estudar os processos de fabricação, chegou à conclusão de que deveriam ser tratados como uma ciência. A partir de então surgiu a divisão do trabalho, que serviria para aumentar a quantidade e a velocidade de bens de consumo produzidos. Anos mais tarde, Henry Ford aplicou o método de Taylor à produção em série do seu veículo modelo T, o que supôs a expansão do automóvel e a implementação final do sistema de divisão do trabalho nos processos de produção.

Administração e produção de operações:

A partir da segunda metade do século XX, o modelo fordista parecia ter esgotado a sua capacidade de oferecer novos produtos. Isso fez com que a indústria ampliasse os seus horizontes com uma variedade muito maior de produtos e com produtos muito mais personalizados. 

Toyotismo ou Metodologia Lean:

Esta última fase da evolução do processo de produção recebe o seu nome de Toyota, a empresa que a idealizou. Consiste em eliminar qualquer elemento desnecessário ou supérfluo da linha de montagem permitindo otimizar muito mais os recursos. Entretanto, isto requer um controlo e um conhecimento praticamente absoluto da linha de montagem ou o sistema entrava em colapso ante qualquer imprevisto.

Automatização:

A automatização é a resposta que se desenvolveu para poder realizar processos de fabricação muito mais eficientes e que reduzam a presença de elementos desnecessários, como propunha o Toyotismo. A automatização consiste em implementar a tecnologia e a maquinaria necessária para que os processos de fabricação se realizem por si mesmos, reduzindo na maior quantidade possível a necessidade da presença humana no processo.

Indústria 4.0 e IIOT:

Deste modo nasce a Indústria 4.0, que é aquela que utiliza o IIoT ( a Internet of Things aplicada ao ambiente industrial) para criar uma linha de montagem onde todos os elementos implicados estão em continuo processo de comunicação entre si, o que permite processos automáticos que desenvolvam de forma eficiente a fabricação e a solução de problemas quando estes acontecem.

Eficiência e produtividade

O resultado da implantação da Indústria 4.0 é um tipo de indústria altamente eficiente que conta com uma produtividade de alta qualidade que ao mesmo tempo reduz os custos que derivam tanto do tempo como dos recursos econômicos e humanos. Entretanto, este tipo de indústria requer da tecnologia necessária para levar a cabo os processos de automatização que permitem dispor deste tipo de linha de montagem altamente eficiente e é aqui que a visão artificial joga um papel fundamental.

 

Usos da visão artificial na linha de montagem.

Os sistemas baseados em visão artificial podem ser assignados a um número muito elevado de aplicações. Estes sistemas permitem às empresas melhorar o controlo de qualidade dos seus produtos, reduzir os custos de fabricação, suprimir erros durante o processo de produção na linha de montagem e superar expectativas dos consumidores ao mesmo tempo que permitem oferecer um preço acessível.

Ao utilizar sistemas de visão artificial na linha de montagem consegue-se uma maior automatização dos processos de produção, o que resulta em produtos de maior necessidade a um custo produtivo menor. Deste modo, a implementação destes sistemas é associada a melhores resultados tanto na perspectiva do fabricante como do consumidor final.