Tempo de leitura: 4 minutos

A programação robótica se estabeleceu como um dos principais campos de investigação e desenvolvimento atuais, destacando-se como uma das tendências que vão trazer muitas mudanças. Cada vez mais, as entidades robóticas são vistas como formas de liberar as pessoas de trabalhos repetitivos, de risco ou carga excessiva.

 

A adoção da robótica

Disciplinas avançadas como a física, a inteligência artificial, a mecânica, a informática e a eletrônica dão as mãos para dar forma a uma era robótica na qual tudo muda para as empresas. Em pouco tempo a robótica comprovou que pode ser a solução a todos os problemas encontrados na gestão de diferentes processos na indústria por meio de humanos. Estas criações robóticas  irão substituir pessoas em tarefas de risco e tédio que impedem os humanos de dedicar seu tempo a serem 100% produtivos. 

 

Quais os objetivos de robotizar a indústria?

Há duas missões necessárias para realizar os processos de robotização: 

  • Reduzir custos
  • Aumentar a produtividade

Estes são benefícios que estão enraizados em qualquer tipo de negócio. A redução de custos vem da agilidade e eficiência com que as máquinas trabalham, realizando tarefas em menos tempo e garantindo a todo o momento de que nenhum erro seja produzido. A robótica industrial se torna uma tecnologia cada vez mais acessível, que ajudará até a tornar as contas mais claras para qualquer tipo de empresa.

New Call-to-action

Por outro lado, o aumento da produtividade vem também com a margem de ações e outros tipos de tarefas que os empregados podem realizar, enquanto as máquinas realizam tarefas tediosas e repetitivas que não necessitem contar com inteligência própria e emoções. Isso favorece para que a equipe humana tenha a oportunidade de realizar trabalhos que uma máquina não é capaz de realizar com a mesma essência. É conveniente recordar que hoje em dia nem todos os processos podem ser robotizados. Para isso, deve haver uma análise da empresa, o seu funcionamento, a metodologia que será implantada, entre outros detalhes. 

 

A programação dos robôs

Mas como o robô sabe qual o papel a desempenhar na empresa? O que é que leva você a entender sua tarefa e fazê-lo sem nenhum erro? Esse é o trabalho de programação e simulação de robôs. Para isso, um total de dois tipos de programação pode ser usado:

  • Programação por aprendizado ou gestos
  • Programação textual

O primeiro dos modelos é o mais tradicional e leva um programador a cuidar da gravação na memória do robô dos movimentos que ele realizará de forma cíclica. Da mesma forma, este sistema de programação pode fazer uso de duas variantes:

  • Aprendizagem ativa: neste proceso o programador realiza o movimento do robô com seu próprio sistema de ação para introduzir o registro desejado. Permite variar a velocidade do movimento a repetir e introduzir ajustes personalizados.
  • Aprendizagem passiva: aqui o programador também faz o movimento, mas neste caso de maneira manual. Usado em tarefas de soldagem ou pintura.

 

A programação textual implica em elaborar instruções em linguagem de alto nível que o robô entenderá e usará como linha de base para trabalhar. Deve introduzir coordenadas cartesianas para a localização dos pontos de trabalho, orientação com ângulos e outros elementos que ajudam a configurar o controle e ação do robô.

 

Maturidade tecnológica

O passar do tempo demonstrou que a robótica alcançou um nível de maturidade tecnológica que a permite tornar-se uma peça chave em qualquer tipo de indústria. Nos últimos anos, a robotização chegou a mais empresas e setores, facilitando que os negócios possam reduzir custos e aumentar a produtividade. Isso porque a robótica segue em evolução a um futuro no qual terá uma presença maior em todo o tipo de indústrias. A robótica é cada vez mais eficiente e se posiciona como o recurso a ser utilizado na hora de fomentar uma mudança beneficiosa na empresa. 

 

Robôs guiados por visão

Entre as últimas tendências do setor da robótica, destaca-se o uso da visão artificial, a qual serve como ferramenta para realizar processos com mais eficácia e gerar aplicaç4oes industriais mais dinâmicas. Neste contexto nascem os VGR (Vision Guided Robots), sistemas especializados na robótica guiada por visão que trazem maior volume e flexibilidade ao ambiente tecnológico.  generar aplicaciones industriales más dinámicas. En este contexto nacen los VGR (Vision Guided Robotics), sistemas especializados en la robótica guiada por visión que aportan un mayor volumen de flexibilidad a este entorno tecnológico. O que isso contribui para os robôs e seu papel ativo nas empresas?

  • Os robôs ganham dinamismo por não serem consertados em um ambiente de trabalho único.
  • Sistemas de posicionamento não precisam ser tão precisos
  • Determina as posições dos objetos no espaço para que os robôs sejam direcionados a eles
  • Ampla gama de setores aplicáveis, da pintura à montagem, soldagem ou paletização

Pode-se dizer, portanto, que os sistemas VGR cuidam que a robótica dê o próximo passo evolucionário e que os robôs possam ocupar mais posições em empresas que proporcionam uma infinidade de benefícios àqueles que confiam neles.

 

New Call-to-action