cámara multiespectral Tempo de leitura: 3 minutos

O que são as câmaras multiespectrais?

Como seu nome indica, uma câmara multiespectral é aquela que pode capturar imagens usando diferentes frequências de onda simultaneamente. Isto significa que as imagens capturadas não se limitam unicamente ao espectro de luz visível (similar ao olho humano) mas a diferentes imagens segundo o tipo de onda ao longo do espectro eletromagnético.

Este tipo de câmaras são uma combinação do espectrógrafo INSPECTOR e uma câmara matricial, que é a que gera a imagem multiespectral e permite resolver aplicações colorimétricas tanto de caráter industrial como científico. De fato, se não fosse por este tipo de câmaras, haveria aplicações impossíveis de ser levada a cabo devido à ausência de luz visível.

 

Tipos de sistemas multiespectrais

Este tipo de câmaras podem trabalhar em diversos espectros, tanto visíveis como infravermelho e podem variar segundo o fabricante, mas costumam estar divididas da seguinte maneira:

VIS: Deteta luz visível (380-800nm)

VNIR: Deteta luz visível e a mais próxima ao espectro infravermelho (400-1000nm)

NIR: Deteta luz próxima às ondas infravermelhas (900-1700nm)

SWIR: Deteta a luz infravermelha de onda curta (1000-2500nm)

MWIR: Deteta a luz infravermelha de onda média (3-5 μm)

LWIR: Deteta a luz infravermelha de onda longa (8-12.4 μm)

 

Diferença entre Multiespectral e Hiperespectral

Quando falamos em imagem multiespectral, estamos a falar de imagens que estão formadas por um número de bandas que poderiam ser considerados poucas (em geral entre 3 e 20 bandas aproximadamente). Além de que estas bandas não têm que ser necessariamente contíguas entre sim.

Ao contrário, quando falamos de imagem hiperespectral, na maioria dos casos estamos a falar de imagens formadas por um número de bandas consideravelmente superior e que as bandas nem sempre serão contíguas entre si. Deste modo, com uma imagem multiespectral poderemos obter uma série de valores de intensidade nos comprimentos de onda que o sistema capture, enquanto que uma imagem hiperespectral permitirá obter um espectro contínuo ou assinatura espectral do elemento observado.

 

Aplicações práticas

As aplicações práticas que derivam do uso da câmara multiespectral são muito extensas. Alguns dos setores que mais uso fazem delas são os seguintes:

Medicina:

O uso de câmaras multiespectrais permite levar a cabo provas e diagnósticos menos invasivos e permitem aos médicos ver o interior do paciente sem a necessidade de intervenções cirúrgicas.

Agricultura:

Graças ao uso de câmaras multiespectrais é possível detectar o bom ou o mau estado de certas culturas, assim como a presença de pragas nos cultivos graças ao mapeamento da biomassa.

Defesa:

O uso militar da câmara multiespectral tem uma grande variedade de usos. Temos que destacar a deteção de minas antipessoal ou a deteção e luta contra o tráfico de drogas.

Meio ambiente:

A tecnologia multiespectral permite localizar com maior eficiência a presença de elementos contaminantes em diversos ecossistemas, como acontece no caso dos plásticos ou derramamento de petróleo nos oceanos.

Técnicas de cor:

Seu uso também pode ter diferentes aplicações em setores que trabalham diretamente com a natureza da cor, tais como o setor artístico ou têxtil.

Geologia:

Este tipo de câmaras constituem um elemento de trabalho muito habitual na hora de conhecer a natureza de alguns terrenos, a localização de metais preciosos ou a análise de sedimentos. 

Silvicultura e proteção florestal:

O uso de câmaras espectrais permite fazer o mapeamento de terrenos arborizados com maior eficiência e melhores resultados. Assim como levar a cabo diferentes estudos relacionados com o risco de incêndios e as suas consequências. 

Setor hídrico:

Do mesmo modo que este tipo de câmaras permite a observação na terra, seu uso pode ser estendido ao espaço aquático, onde são fundamentais na hora de analisar a qualidade das águas tanto em ambientes naturais como urbanos.