Tempo de leitura: 2 minutos

O ano passado a Agência Espacial Europeia (ESA) pos em órbita a uma altitude de 800km um mini-satélite, o Prova-V, com o objetivo de capturar mapas das colheitas e da vegetação na superfície do planeta. Três dos sensores Xlin-1.7-3000 SWIR InGaAs da Xenics, semelhante ao da câmara linear LYNX também da Xenics, se encontram a bordo deste satélite.

Lynx-CL_Right_S_72dpiA observação da Terra desde um satélite pode revelar informação detalhada sobre a vegetação, as nuvens, a umidade e as condições atmosféricas. Concretamente os sensores SWIR são muito interessantes para o estudo das propriedades da vegetação, como o conteúdo de água das plantas, a identificação do tipo de árvore e das condições das plantas.

A finalidade do projeto em questão é obter informação rápida e confiável sobre a vegetação, com o fim de criar alarmes para informar às autoridades pertinentes sobre, por exemplo, o estado das colheitas e o avance dos desertos e o desmatamento.

Xenics desenvolveu os sensores infravermelhos especialmente para cumprir com os requisitos específicos da aplicação em relação à resolução, velocidade de captura, resistência à radiação e às condições ambientais, vida útil e etc.

No tempo que leva em órbita, o Proba-V gerou milhares de imagens e seguirá generando durante alguns anos, até que o satélite da série Sentinel-3 esteja preparado para o seu lançamento e assuma o a missão.

 

*Imagem propriedade da ESA